fbpx

Plano Contingência Dancenter

VER VERSÃO PDF AQUI

PLANO DE CONTINGÊNCIA PARA AS ATIVIDADES LETIVAS

Dancenter – Academia de Dança

 

A Resolução do Conselho de Ministros n.º 55-A/2020, de 31 de julho, declara a situação de contingência e de alerta, no âmbito da pandemia da doença COVID-19, cujo artigo 23.º diz respeito às normas para a área da atividade física e desportiva.

Pretende-se, com o Plano de Contingência para as Atividades Letivas, agregar num único documento as orientações a adotar na utilização das instalações desportivas e de âmbito artístico/cultural, por parte dos colaboradores, dirigentes e principalmente alunos e professores, de forma a reduzir os riscos de contágio pelo coronavírus.

O presente Plano de Contingência para as Atividades Letivas pode ser alvo de revisão e atualização, nomeadamente se existirem novas Orientações da Direção-Geral de saúde (DGS) ou imposições da Autoridade de Saúde local.

1. Prevenção de transmissão do COVID-19

Para prevenir a transmissão e propagação da doença Coronavírus COVID-19, a OMS recomenda as seguintes medidas:

Lavar as mãos muito bem e frequentemente com água e sabão, durante pelo menos 20 segundos. Se estes não estiverem disponíveis deve ser utilizado um desinfetante para as mãos que tenha pelo menos 70% de álcool, cobrindo todas as superfícies das mãos e esfregando-as até ficarem secas.

Todos os membros da comunidade da Dancenter devem lavar as mãos:

    • Antes de sair de casa;
    • Ao chegar aos locais das atividades;
    • Após usar a casa de banho;
    • Durante as atividades, sempre que necessário;
    • Sempre que se assoar ou tossir.

Procedimentos de etiqueta respiratória:

  • Evitar tossir ou espirrar para as mãos;
  • Tossir ou espirrar para o antebraço ou braço, com o antebraço fletido ou usar lenço descartável;
  • Higienizar as mãos após o contacto com secreções respiratórias;

Procedimentos de conduta social:

  • Alterar a frequência e/ou a forma de contacto entre os membros da comunidade;
  • Evitar os cumprimentos mantendo o distanciamento físico necessário.

Demais procedimentos/hábitos de proteção:

  • Evitar tocar no nariz, olhos e boca sem ter lavado as mãos;
  • Lavar as mãos após ter tocado nos olhos, nariz e boca;
  • Eliminar imediatamente o lenço utilizado e lavar as mãos;
  • Não partilhar objetos pessoais, garrafas de água ou sumo, nem comida;
  • Evitar o contato próximo com qualquer pessoa que tenha febre e tosse (manter a recomendação de pelo menos 2 m de distância);
  • Limpar e desinfetar muito frequentemente objetos e superfícies de utilização comum (reforçar higienização das superfícies, puxadores e corrimões, betoneiras e interruptores, entre outros materiais);
  • Beber frequentemente água ao longo do dia;
  • Evitar o consumo de produtos animais crus ou mal cozinhados;
  • No caso de ter febre, tosse e dificuldade para respirar, contactar a linha saúde SNS 24, 808 24 24 24, seguindo as orientações fornecidas pelos profissionais de saúde.

Medidas específicas de proteção, prevenção e controlo

  • No decorrer das atividades, os responsáveis pelas mesmas devem assegurar que todos os que nela trabalham ou frequentam têm conhecimento das regras de etiqueta respiratória e correta desinfeção das mãos. Para tal, a Dancenter deve garantir o seguinte:
  1. Que todos os funcionários, professores e alunos têm conhecimento da informação sobre o COVID-19 e do presente Plano de Contingência, especialmente sobre como reconhecer e atuar perante um caso suspeito de COVID-19;
  2. Garantir que todos os funcionários, professores e alunos usam corretamente os Equipamentos de Proteção Individual (EPI) necessários (máscaras);
  3. Informar os funcionários, professores e alunos que não devem frequentar o recinto onde decorre as aulas, caso apresentem sinais ou sintomas sugestivos de COVID19. Nesse caso, deverão contatar a Linha SNS24 (808 24 24 24), e seguir as recomendações que lhe forem dadas;
  4. Todos os espaços, materiais e equipamentos utilizados no decorrer da atividade devem ser submetidos a limpeza e desinfeção, nos termos da Orientação n.º 014/2020 da DGS, nomeadamente os materiais que possam ser partilhados;
  5. Delinear circuitos adequados, de entrada e saída, e que estão preparados para acatar a restrição ou limitação de pessoas, caso a Autoridade de Saúde local, regional ou nacional assim o determine.
  • Antes da entrada nas instalações será controlada a temperatura corporal (através de um termómetro de infravermelhos) e poderá ser necessário responder a um breve questionário sobre a sintomatologia, destinado aos alunos. No caso de uma pessoa com temperatura acima dos 37,5ºC ou outros sintomas, a mesma deverá ser encaminhada para a área de isolamento e contactada a linha de apoio SNS24 (808 24 24 24);
  • Os horários das atividades, normas e o presente Plano de Contingência será partilhado com todos os envolvidos na Dancenter;
  • As atividades deverão decorrer sem a presença de público/familiares e apenas com a presença dos elementos estritamente necessários para a sua realização;
  • Deverá existir um hiato de tempo entre atividades, para a saída e entrada dos alunos, professores e restante staff, respeitando as zonas de circulação de entrada e saída, de forma a evitar o cruzamento das pessoas entre atividades;
  • A permanência nos locais de atividades deve restringir-se ao exclusivamente necessário;
  • Cada sala de aula/espaço deverá ter uma zona, à entrada, de troca de calçado vindo do exterior (com criação de uma “zona suja” e uma “zona limpa”), a partir da qual não poderá entrar calçado vindo do exteri Os bailarinos e professores terão, obrigatoriamente, de usar calçado exclusivo no espaço das atividades;
  • Deve ser mantido um registo, devidamente autorizado, de presenças dos professores e alunos (nome, email e contacto telefónico) que frequentaram os espaços de prática das atividades, para efeitos de apoio no inquérito epidemiológico da Autoridade de Saúde, se aplicável;
  • Aplicando-se o Princípio da Precaução em Saúde Pública, é de considerar o uso de máscaras por todas as pessoas que permaneçam em espaços interiores fechados, como medida de proteção adicional ao distanciamento social, à higiene das mãos e à etiqueta respiratória. Assim:
  1. Staff: usar obrigatoriamente a máscara social ou cirúrgica;
  2. Professores: usar obrigatoriamente a máscara social ou cirúrgica, com dispensa da obrigatoriedade da mesma apenas durante a orientação de sessões de exercício/treino que impliquem realização de exercício físico;
  3. Bailarinos: obrigatório o uso de máscara na entrada e saída das instalações. Dispensa da obrigatoriedade do uso de máscara durante a realização de exercício físico e/ou aulas.

Organização dos Espaços e equipamentos para prática das atividades

  • Em todas as situações deve ser assegurado o distanciamento físico adequado, da seguinte forma:
  1. a) Pelo menos dois metros entre pessoas, em contexto de não realização de exercício físico (receção, espaços de circulação, etc.);
  2. b) Pelo menos dois metros entre pessoas no controlo no acesso às instalações e às diferentes áreas das mesmas;
  • Respeitar o limite de número de bailarinos máximo fixado;
  • A circulação no interior das instalações deverá realizar-se exclusivamente pelos percursos devidamente sinalizados, estando proibida a socialização dentro das instalações, garantindo a distância social de outros utilizadores e o uso obrigatório de máscara;
  • Assegurar a disponibilidade de locais para a lavagem das mãos, bem como desinfetante de mãos (solução de base alcoólica), em local fixo e visível a todos, de preferência à entrada das instalações e junto ao espaço da prática da atividade.
  • Garantir uma boa sinalização de higiene e circulação em todos os locais de passagem;
  • A utilização das instalações sanitárias é permitida, mas deverão ser cumpridas todas as normas previstas de higienização e lotação do espaço.

Antes das atividades

  • Todos os praticantes devem assinar o Termo de Responsabilidade (no Anexo II), no qual é assumido o compromisso pelo cumprimento das medidas de prevenção e controlo da infeção por SARS-CoV-2, quer em contexto de aula, quer em contexto de espetáculo;
  • Os alunos deverão vir equipados de casa, promovendo a impossibilidade de partilha de qualquer tipo de material;
  • O acesso às instalações deverá ser realizado de forma individual e desagrupada, de acordo com a especificidade do local de acesso e os circuitos definidos para o efeito;
  • Na zona de calçar e descalçar (zona suja e zona limpa) deverá ser assegurado o distanciamento de pertences dos vários praticantes;
  • Lavar as mãos, antes e após as aulas, com água e sabão (durante pelo menos 20 segundos). Usar um desinfetante de mãos com base alcoólica (mínimo de teor de 70%) sempre que a água e sabão não estão disponíveis.

Durante as atividades

  • Os atletas não devem partilhar equipamento individual (roupas, equipamento específico, proteções, toalhas, sapatilhas) ou outros itens pessoais;
  • No âmbito da utilização das instalações e dos materiais, durante a realização das atividades, recomendam-se as seguintes boas-práticas:
  1. a) Desinfetar as mãos à entrada e saída de cada espaço e durante as atividades;
  2. b) Respeitar as vias de entrada, saída e os restantes circuitos definidos, devidamente sinalizados e evitar aglomerados/filas de espera de atletas;
  3. c) Respeitar os horários definidos para as aulas, evitando o cruzamento de alunos à entrada para o local das atividades;
  4. d) Caso seja necessário, proceder à definição de lugares, por forma a garantir o distanciamento físico preconizado;
  5. e) Evitar o uso de equipamentos com superfícies porosas (como alguns tipos de colchões, etc.);
  6. f) Evitar o contato físico entre staff, professores e alunos;
  7. g) Limpeza e desinfeção de todos os materiais antes de serem utilizados que, se possível, deverão ser marcados por cada aluno, para uma utilização contínua dos mesmos ao longo de todas as aulas;
  8. h) Uso exclusivo de cada bailarino da sua própria garrafa com água, devidamente identificada.
  • Manter as portas abertas, de modo a evitar o seu manuseamento e permitir uma melhor circulação do ar e assegurar arejamento das instalações, preferencialmente com ventilação natural;
  • As aulas deverão ser realizadas sem a presença de público/familiares e com o mínimo de elementos necessários para a sua realização.

Depois das atividades

  • Nos alongamentos deve ser evitado o uso de tapetes;
  • Antes e depois da troca de calçado, devem ser desinfetadas as mãos com um desinfetante de base alcoólica (mínimo 70%);
  • Respeitar os circuitos definidos para a saída das instalações, cumprindo com o distanciamento físico e o uso obrigatório de máscara.

Utilização das instalações sanitárias

  • Não havendo balneários nem utilização de chuveiros/cabines para duches, as instalações sanitárias poderão ser utilizadas para troca de vestuário, restritas à lotação máxima admissível, quando não seja possível ao aluno vir equipado de casa;
  • Os circuitos de circulação de staff, professores e alunos devem, sempre que possível, preconizar a circulação num só sentido, evitando o cruzamento entre pessoas;

Ventilação e arejamento de espaços

O arejamento de todos os espaços será promovido entre todas as aulas e durante a execução das mesmas, através de sistemas de ventilação natural ou mecânica e optando, sempre que possível, por manter as portas abertas. Entre cada aula haverá um hiato de 10 minutos.

Limpeza e higienização das instalações

Antes e no final de cada aula, deverão ser limpos ou desinfetados todos os espaços e materiais utilizados.

Procedimentos perante caso positivo COVID-19

  • Se aplicável, o caso positivo deve ser isolado, ficando impossibilitado de participar nas atividades até à determinação de cura, nos termos do aplicável da Norma 004/2020 (sintomático) ou da Norma 010/2020 (assintomático) da DGS.
  • A identificação de um caso positivo (sintomático ou não) de infeção por SARS-CoV-2 deve, de imediato, ser comunicado à Autoridade de Saúde territorialmente competente;
  • Os praticantes e equipas técnicas da turma na qual foi identificado um caso positivo são contactos de um caso confirmado. Contudo, a determinação de isolamento de contactos (de praticantes e outros intervenientes), a título individual, é feita pela Autoridade de Saúde territorialmente competente, nos termos da legislação vigente e do previsto na Norma 015/2020 da DGS.

Procedimentos perante um caso suspeito de COVID-19

  • Qualquer pessoa que apresente sintomas ou indícios (consultar anexo I) deve ser considerado como um possível caso suspeito de COVID-19 e deverá proceder-se da seguinte forma:
  1. a) Ao caso suspeito deve ser colocada uma máscara cirúrgica, preferencialmente pelo próprio;
  2. b) A pessoa/caso suspeito deverá ser encaminhada por um só colaborador para a sala/área de isolamento, pelo circuito definidos, onde este deverá ter disponível kit com água e alguns alimentos não perecíveis, solução antissética de base alcoólica, toalhetes de papel, máscaras cirúrgicas e, sendo possível, acesso a instalação sanitária de uso exclusivo;
  3. c) Em seguida, na área de isolamento, deve ser contactada a Linha SNS 24 (808 24 24 24), de acordo com a Norma 004/2020 da DGS, dando cumprimento às indicações recebidas. Até serem cumpridas as regras do SNS, a pessoa em questão deverá permanecer na sala de isolamento;
  4. d) Simultaneamente, devem ser cumpridos os procedimentos definidos no Plano de Contingência e, se aplicável, os procedimentos de limpeza e desinfeção, de acordo com a Orientação nº 014/2020 da DGS.
  • Os equipa da Dancenter deverá informar diretamente o Município e o Proteção Civil;
  • A área de isolamento fica interdita a qualquer pessoa.

Sala/ área de isolamento

A sala de isolamento irá estar previamente definida e identificada.

Equipa de Coordenação do Plano de Contingência

Na tabela abaixo estão identificados os elementos que são responsáveis por operacionalizar, comunicar e rever o presente documento.

Nome Função Email
André Marques Diretor andre@dancenter.pt
Maria João Sá Coordenação de projetos producao@dctr.pt
Luiza Dezem Secretaria secretaria@dancenter.pt
Keilane Reltessinger Apoio administrativo contabilidade@dancenter.pt
João Almeida Professor Dança  
Suzanna Rosas Professora Dança  
Renata Familiar Professora Dança  
Filipa Castanhas Professora Dança  
Franscisca Morais Professora Dança  
Beatriz Lamelas Professora Dança  
Álvaro Ribeiro Professor Dança  
Gabriel Monteiro Professor Dança  

Telemóvel dancenter: 919 104 293

Contactos de Emergência:

Número Europeu de Emergência – INEM – 112

Linha SNS24 – 808 24 24 24

 

Murmuratorium

YAMawards 2020 | Prémio de Melhor Projeto Participativo

A Companhia de Música Teatral ganhou o Prémio de Melhor Projeto Participativo dos Young Audience Music Awards (YAMawards) 2020, com a criação artística Murmuratorium. A Companhia 2.0 ajudou a dar corpo a este projeto, com alguns dos seus bailarinos.

Os YAMawards têm como objetivo identificar e apoiar produções de todo o mundo que inspiram e envolvem jovens e distinguem a criatividade e a inovação de produções musicais para público nessa faixa etária. Os prémios são atribuídos pela organização Jeunesses Musicales International (JMI), uma organização que se destaca por defender que o acesso à música e à cultura são direitos fundamentais de todos as crianças e jovens.

Prémio YAMawards
Prémio YAMawards

Murmuratorium é simultaneamente uma “performance” músico-teatral participativa e uma instalação que pode ser explorada num registo livre e informal. Dando voz à “delicadeza”, à “escuta” e “revelação do belo”, à necessidade de “estar junto” de forma poética e sensível, Murmuratorium junta crianças, adolescentes e jovens numa “viagem” através duma arte que é também processo de “afinação” entre as pessoas e o Mundo. Murmuratorium foi uma co-produção da Companhia de Música Teatral com o Teatro Aveirense e a Musiquim, tendo sido desenvolvido localmente com um grupo de adolescentes e jovens que integrou elementos da CMT-Kids e da Companhia Dancenter em Aveiro e da Musiquim nos Açores.

De salientar que a Companhia 2.0 está de parabéns por continuar a desenvolver projetos artísticos diferenciadores e inovadores, em parceria com criadores de renome nacional e internacional. A Companhia 2.0 afirma-se cada vez mais enquanto uma plataforma de aprofundamento do estudo da dança, mas também da performance, do pensamento criativo cruzado, multidisciplinar, humanista e sobretudo aberto ao Mundo. Parabéns a todos os que se desafiam, parabéns a todos os que acreditam que o melhor prémio é o Processo.

NOTAS:

  1. Ver trailer do documentário “murmuratorium – rumos e rumores” aqui.